sábado, 31 de julho de 2010

Friendship never ends!

Oiee, pessoal! Como estão nesse belíssimo – ou não – sábado? Espero que todos bem. Sabe, eu odeio fazer essas introduções, sempre soam tão bregas...

Antes de começar o post, só queria dizer que hoje é o aniversário da mais diva-master-blaster-super escritora de todos os tempos: J.K Rowling! Happy Birthday, Jo! E também é aniversário do Harry,gente. HAPPY B-DAY, HARRY! Quero todo mundo no twitter hoje com #WhyILoveJk e #HappyBDayJk (não tô conseguindo entrar no meu, omg!)

Ok, agora vamos ao post.

Eu tenho duas super amigas, a I. e a M., que pararam de se falar há um tempão, desde o início do ano, eu acho. Motivo? Pelo que eu entendi, foi alguma coisa relacionada ao formspring, cigarro – não que alguma delas fume, ok? –, meninos e mudanças de personalidade. Acontece que elas eram amigas desde os DOIS anos! Como uma amizade tão antiga, que parecia tão forte, pôde acabar por causa de uma besteira? Eu até tentei intervir, até hoje fico nó pé delas, mas de nada adianta. Além disso, a I. também teve outra briga feia com uma outra grande amiga, a J. E o motivo é mais idiota ainda! Foi porque uma se acha mais Cult por gostar de Chico Buarque, Elis Regina, e acabou ofendendo a outra, chamando de ‘idiota’ a pessoa que gosta de Justin Bieber. O caso é que a outra gostava, e isso deu numa confusão que vocês nem imaginam... E ainda me meteram no meio, vejam só! Só pra encurtar, a I. e a J. não se falam desde maio.

Vocês devem tá se perguntando o porque de eu tá falando das minhas amigas aqui, e dos problemas entre elas. Eu só queria saber até onde agüenta uma amizade? O que é um amigo de verdade?

Eu simplesmente acho que não vale a pena correr o risco de perder um grande amigo por causa de besteira. Seja por causa de um menino e/ou menina, uma mentira, ou qualquer outra coisa que não tenha um motivo realmente válido. Se vocês tão passando por uma situação parecida com a das minhas amigas – ou com a minha, que fico no meio, e acabo sendo posta contra a parede, porque se concordo com uma,a outra fica com raiva e vice-versa – pensem se vale a pena de verdade deixar uma amizade de lado por besteira.

Amigos de verdade são aqueles que ficam quando todos saem. São aqueles que não te abandonam quando você mais precisa, que não te dizem ‘eu te avisei’ quando você faz uma burrada enorme, mas te consolam. Às vezes seu amigo pode estar com problemas, mas a raiva, ou a mágoa te impede de ajudá-lo.

E o mais importante de tudo isso é que uma amizade se preserva. A gente não encontra em toda esquina uma pessoa que se pode confiar, que vai sempre, apesar de todos os seus defeitos, te estender a mão.



És responsável por tudo aquilo que cativas (the little Prince ROCKS!). Encurtando, vocês são sim, responsáveis por seus amigos. Então, preservem seus amigos, cuidem bem deles, porque depois da família eles são a coisa mais importante, e sempre que vocês precisarem, os amigos de verdade com certeza estarão lá por você.

É por isso que eu quero preservar minha amizade com as meninas daqui (as dos bastidores também): mesmo que nós sejamos de lugares diferentes, e a gente só se conheça há pouco mais de um ano, elas já são importantes pra mim.

Eu passei muito, muito tempo, sem saber o que era ter um amigo de verdade. Só vim descobrir o que era uma amizade verdadeira quando mudei de colégio, na sexta série( não é que eu não tivesse amigos antes, mas é que eles eram mais como colegas do que amigos mesmo).

No começo eu achava muito estranho vendo pessoas que, além da minha própria família, se preocupavam mesmo comigo, que na verdade ligavam pra mim. Às vezes eu me afastava, criando um escudo protetor ao redor de mim – não por não gostar dessas pessoas, mas por não saber como agir. Tá que agora tudo isso já passou e eu já to mais que acostumada. Só usei como exemplo.

E tipo, se você está se sentindo assim, como eu me sentia antes de mudar de colégio, olhe ao seu redor: talvez tu tenha um monte de gente que se importa com você, só que ainda não percebeu.

Ser amigo é estender a mão, é agir com o coração, estar sempre perto em qualquer hora e lugar.

desculpem qualquer erro, não deu tempo de revisar :/

Obs¹: todas vez que vocês pensarem na desch, não pensem SÓ em Thaís, Luna, Joubs, Naty, Franci e Dani. Pensem nas outras meninas que estão nos bastidores,que fizeram parte da 1ª versão da desch sempre nos ajudando e dando opiniões, e que por motivos de força maior não puderam estar aqui ou que só apareciam no tópico-divo só pra conversar e dar sugestões: a Blanca e a Thais, que vocês já conhecem; a Jéssica; a Johana; a Giulia, a Lorena e tantas outras que agora não me lembro :O

mas a que mais nos apoiou, mais nos incentivou e nos deu mais motivos pra querer criar esse blog foi a Pussy. Podem perguntar para as meninas: Pussy é nossa diva-master, nossa estrela-guia, nossa aurora-boreal, nossa... –NNNNNNNNNNNNNNNNNNNNOT

Obs²: então, pessoal. Esse ano eu vou fazer vestibular (aqui é o modelo seriado, começando no 1º ano), e eu tenho que estudar mais. Daí que agora eu vou ter aulas nos fins-de-semana, e vou ficar sem tempo pra postar. Eu não queria ficar pra só postar no último momento, e ainda fazer ‘qualquer coisa’. Vocês não merecem isso, que sempre esperam coisas legais pra ler; nem as meninas merecem, que sempre se esforçam tanto nos posts. Por isso eu pedi dispensa da Desch, e convidei a Bramks Maria da Silva Aleks pra ficar me substituindo até o fim de novembro ou por tempo indeterminado (já que além do vestiba, provavelmente vou pra recuperação em português DDD: ).

Os sábados de vocês agora são com a Blanca, divirtam-se!

Isso é tudo, pessoal /voz do Pernalonga na hora acne

Não se surpreendam se em qualquer sábado aleatório desses eu apareça por aqui e dê o ar da minha graça.

Beijos e até a próxima :*

ps: pessoal, comentem nos posts! é muito chato você escrever um post com tanta vontade e acaba que vocês não comentam. Lembrem que isso é pra vocês!

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Tomorrow - when the war began

Oi descaprichetes! *o*

São 00h32min, eu quero dormir, e não sei exatamente o que postar. Ok, eu tinha 287867287 idéias, mas a falta de tempo (tenho que terminar isso antes de ir dormir e programar, porque provavelmente não vou ter tempo amanhã)não me deixou escrever sobre nenhuma delas.

Pois bem, há um tempo, minha mãe comprou pra mim o primeiro livro da série Amanhã (Quando a guerra começou), de John Mars. A série foi lançada originalmente em 1993 e possui sete livros. Seis deles já foram traduzidos pela Editora Fundamento. E vai virar filme! Em Junho de 2009, a Screen Australia anunciou a produção do filme Amanhã Quando a Guerra Começou (tem o trailer no youtube se alguém quiser ver).



Bem, é um livro de guerra, narrado pela personagem principal, Ellie Linton. No inicio eu achei meio bobinho, basicamente um grupo de jovens indo acampar no Inferno, um lugar um tanto exótico. Achei que ia ser uma coisa um tanto “sexo, drogas e rock’n roll”, vendo o jeito que a Ellie narrava aquilo tudo. Mas hã, não foi nada disso. Eles foram acampar no Inferno, foi uma coisa bem legal,porque poxa, eles eram amigos acampando, e eu acho acampamento uma coisa legal e *o* Enfim, eles passaram uma semana no Inferno, indo de vez em quando buscar mais comida no carro sem o contato de mais ninguém. Quando eles voltaram pra casa, encontraram os animais mortos e nenhum sinal de seus pais. E é aí que as coisas legais começam a acontecer. Eles descobrem que um exército estranho atacou o país, e que as pessoas da pequena cidade de Wirawee estão todas presas na Feira, em condições precárias. E então eles começam a fazer de tudo pra mudar essa situação. Tem muita ação, aventura e... romance. Aí você fala: ok, um livro de guerra com romance? WTF? Foi isso o que eu falei quando eu li umas resenhas sobre o livro. Mas quando você lê, é impossível não ter. Ellie sabe que está em uma guerra, e que isso é sua prioridade, mas ela não consegue resistir às provocações de Lee, ou a sua atração por Homer.

Enfim, eu super recomendo essa série. Só não façam como eu e julgue o livro pela capa. Você vai se arrepender. ;)

Beeijos, até sexta que vem. :*

P.s: Não achei que o post ia ficar tão pequeno. Foda-se.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Vampire Academy

Olá queridas*-*

Como perceberam eu não pude postar semana passada, então desculpem, e quanto a isso eu aprendi que não há nada que uma voadora da no irmão que não te deixa usar o PC não resolva



Tá não. Uma que é mais fácil eu saber dar hadouken do que uma voadora bem sucedida @-@, e outra porque, bem, fazer isso não deve ser tão legal quanto parece. -q
Estava eu dando uma olhada no meu Skoob, que é um site muito legal, onde você pode listar todos os livros que você já leu, avalia-los, fazer sinopses, etcétera (primeira vez na vida que escrevo isso@-@) e lembrei de uma série de livros muito legal que comecei a ler ano passado: Vampires Academy, que como o próprio nome já diz, fala basicamente sobre vampiros.

A história se passa em um universo onde existem três castas de vampiros: os dhampires que são meio humanos, meio vampiros (basicamente, eles são fortes como os vampiros, mas não necessitam de sangue); os Moroi que são uma espécie de vampiros que se alimentam de sangue humano, mas são mortais, e os Strogoi, que é uma casta de vampiros, que, para alimentar sua imortalidade, necessita do sangue Moroi. O que significa um conflito entre essas duas castas, onde os Dhampires, instintivamente tomaram o partido dos Moroi (porque sua espécie só pode ser gerada a partir de uma mistura entre um Moroi e um humano) e tradicionalmente os meio-vampiros costumam se tornar guardião dos Moróis (do tipo que recebem treinamento desde cedo).
E nesse cenário de conflito se encontra Lissa Dragomir, que é uma princesa da realeza Moroi e Rose Hathaway (que por sinal tem um perfil de personagem que gosto muito: ela é sarcástica - a que faz ser a leitura bem divertida - independente, leal, e, hm, tem a peculiaridade de ter um lado meio bitch) que é uma Dhampir que está sendo treinada para proteger Lissa que é sua melhor amiga.

No primeiro livro ‘Beijo das Sombras’, Rose e Lissa são duas fugitivas da academia Saint Vladimir que são obrigadas a voltar ao colégio após praticamente dois anos fora. O que as levou a fugir? É uma boa pergunta pra se descobrir lendo.



O segundo livro Áurea Negra chegou ao Brasil esse ano, e a Preger Entertainment comprou os direitos da série, e ela virará filme em breve: D.


Bjos e até semana que vem :)

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Got a secret, can you keep it?

Olááá! Aqui é a Thais, substituindo a Luna, já que ela está de mudança, boa sorte querida! Por favor, gente, não me confundam com a Thaís que posta aos sábados, acho que ela se sentiria ofendida =( tadinha


Então, vou falar de uma das melhores coisas que já inventaram, depois de mim e da world wide web: séries de TV. Assim, sou muito mais séries que novelas, novelas são para pessoas com faixa etária acima de 30 anos qqqq brimks, nada contra quem assiste né, é só que eu não tenho paciência pra ver todo dia... e se for uma que tenha promessas inestimáveis como o grande Fiuk, por exemplo, fica mais empolgante ainda... ZzZ

Uma série que anda fazendo um sucesso grandinho até (strondando nas night~) é Pretty Little Liars, do canal americano ABC Family. Ela foi baseada nos livros da autora Sarah Shepard, então, se você for todo apressadinho e quiser um spoilerzinho básico (assim como eu), sinta-se à vontade. É tipo polêmica, dá até um medinho às vezes pelo suspense, tem desde a certinha que vira lésbica até a aluna que pega o professor.

Emily, Aria, Spencer e Hannah

Essas quatro garotas desconhecidas no colégio (Aria, Spencer, Hanna e Emily) foram escolhidas por Alison, a DIVA POP [/Jujuba], para serem miguxas e têm um segredo que, se for revelado, fffuu pra todas. Só que a Alison desaparece misteriosamente~ e elas vão cada uma pro seu quadrado, porque na real, nem eram tão amigas assim, eram mais capachos mesmo. Q


Depois de quatro anos não se mandando nem presentinhos na Colheita Feliz, elas passam por diferentes situações em sua vida: a Aria fica com o professor de Inglês, invejinha dela, OU NÃO, porque o Mr. Fitz é realmente HORRÍVEL... Devia ser proibido uma coisa daquelas participar do seriado... Ai ai. Ela também esconde da mãe que viu seu pai pulando a cerca; a Emily pura até depois do casamento, que se envolve com a nova vizinha super cool que dá uns tapas na pantera de vez em quando e um garoto recém-chegado da rehab, suspeito por elas pelo caso Alison e cara de louco psicótico; a Spencer, que também fica com o namorado bonitinho da irmã mais velha chata pra porra ops/, com o funcionário do clube de tênis e usa a redação da mana pra ganhar um prêmio da escola e mostrar por que ela tá no comando; e Hanna, a típica loirinha da cara de anjo, mas só a carinha... Tá, ela não é tão má assim, exceto que esconde que tomou diet shake (ok, -n) e ganhar o bobão do Sean por quem era apaixonada desde sempre. Ela tenta fazer de tudo com ele (tudo mesmo hehe, e sim, é isso que você está pensando), mas ele... não quer. :/ Que peninha dela. Além disso, ela dá uns ataques de rebeldia geniais tipo roubar o carro dele, entre outras coisinhas pra deixar a mãe doidinha.


Aria e Fitz: pegou o fruto proibido, hein? (Ok, ele não é muito fotogênico).

Mas não acaba por aí. Alguém anda lhes mandando SMS para falar que sabe desses dirty little secrets. Uma dica: assina como “A”. Bu! E agora, quem poderá nos salvar?


Enfim, é uma série bem boa (principalmente pra quem, como eu, está sofrendo com o intervalo de Gossip Girl que só volta em setembro D=), é viciante. Até a musiquinha de abertura é boa, coloquei no título kkk (pra quem quiser dar uma conferidinha bacana, é The Pierces - Secret q). Beijos, T. q

PS: gosto que me mandem presentinhos na Colheita Feliz! :D

Ah, obrigada às queridíssimas Natuzinha e Joaninha, uma por me aguentar no MSN e a outra por ter perdido seu precioso tempinho pra me dar um toque e -s xoxo

terça-feira, 27 de julho de 2010

Paura. Peur. Fear. Miedo. Medo.

Boooooooa tarde, queridos leitoreees! Então, hoje, essa terça feira linda (Na verdade, eu não sei se vai ser um dia lindo porque ainda é segunda e eu estou escrevendo esse post para programa-lo para, como de costume, 13h da terça, em virtude de eu não estar em casa até as cinco ou seis da tarde, enfim.), tenho que comentar que é O MEU PRIMEIRO DIA DE AULA DO SEMESTRE.

Pois é, tchaaau férias, tchau acordar ao meio dia, tchau casa de mamãe e papai (Porque, como poucos ou nenhum de vocês sabe, eu não moro com meus pais, e sim com minha avó, meus pais moram no interior do estado e eu amo aquela cidadezinha onde passo minhas férias.), tchau tardes divertidas, tchau madrugadas divertidas, tchau manhãs divertidíssimas dormindo ou sendo acordada pelo meu cachorro, tchau livros de ficção o tempo todo.

Esse é o meu cachorro, Greg, digam oi pra ele. :) -n

Enfim, né, tá, parei com o drama e –s.

O meu post hoje foi novamente sugerido por umas amigas, e eu vou falar sobre fobias. Ter fobia é ter medo de algo, um medo descontrolado e intenso, não somente ter medo. Tipo, eu tenho medo de, sei lá, rãs. Quer coisa mais nojenta que rãs, eca. Mas eu não tenho fobia de rãs. Só não gosto delas e as acho nojentas.

Mas existe muita gente que tem outros medos, algumas fobias conhecidas, tais como a clássica claustrofobia (Medo de lugares fechados) ou aracnofobia (Medo de aracnídeos), ou outras menos conhecidas, como antofobia (Medo de flores. O_o), afobia (Medo da falta de fobias. O____o) ou geliofobia (Medo de rir. O_________________o).


“Medo é um sentimento universal e muito antigo. Pode ser definido como uma sensação de que você corre perigo, de que algo de muito ruim está para acontecer, em geral acompanhado de sintomas físicos que incomodam bastante. Quando esse medo é desproporcional à ameaça, por definição irracional, com fortíssimos sinais de perigo, e também seguido de evitação das situações causadoras de medo, é chamado de fobia. A fobia na verdade é uma crise de pânico desencadeada em situações específicas.”
Tá, enfim, depois de alguns minutos olhando a Lista de Fobias da Wikipédia (Já mencionei que amo a Wikipédia? É tão prática, e não é só pra crtl+c e ctrl+v, não façam isso, crianças. –q), desisti de dar mais exemplos aqui e tal, porque existem MUITAS, muitas, fobias. O que me faz pensar, o que leva as pessoas a ter medo de tantas coisas? Tipo, tem coisas ali que nem são assustadoras, tipo, flores, não é o tipo de coisa que você chega e OMG, UMA FLOR, ME SALVA DEEEELAAAAAA! Não, né, flores são bonitinhas, e cheirosas, e não assassinas.

Me desculpe se você tem medo de flores, elas não querem te fazer mal.

Uma coisa que você pode se perguntar (E eu, ao pesquisar para escrever esse post, me perguntei) é por que as pessoas criam fobias. Bom, o fato é que algumas situações ficam marcadas para nós. Tais situações podem ser boas ou ruins. Por exemplo, se você não gosta de, sei lá, praias. Mas aí um dia você tem um dia super super super legal na praia, com pessoas que você gosta e que gostam de você, fazendo coisas divertidas, e tal, isso vai ficar marcado para você, porque você não gosta de praias, mas uma vez se sentiu muito bem em uma. E provavelmente uma vez que alguém sugira ir à praia, depois desse dia bem legal, você vai aceitar, porque agora percebe que pode ser bom ir à praia, toda vez que você for à praia vai lembrar do dia divertidíssimo que já teve por lá.

A mesma coisa pode acontecer com coisas ruins. Se algo ruim aconteceu relacionado a determinada situação, é provável que, ao lembrar de tal situação, você vá lembrar da coisa ruim, e pode sentir medo de que aconteça novamente. Daí você pode passar a se privar de fazer algumas coisas que lhe tragam lembranças ruins, e criar uma fobia, assim como você pode tentar retomar essas coisas e mais coisas ruins venham a acontecer, o que pode ‘formar’ uma fobia mais ‘forte’, ou essas coisas ruins podem não acontecer, e aí pode ou não se criar uma fobia.

Tá, enfim, quem tem fobias razoavelmente graves (Não sei se posso classificar as fobias em graves ou bobas, já que o que é bobo pra mim pode ser um pesadelo para você e vice-versa, mas tá.), ou que podem chegar a interferir em sua vida pessoal, como medo de falar em público (Desconfio que minha mãe tenha, hm.), deve procurar um tratamento junto a um psicoterapeuta, que pode sugerir alguns métodos para o tratamento da fobia em questão, dependendo desta, é óbvio.

Os métodos mais comuns de tratamento são três: Comportamental, Cognitivo e Psicodinâmico. O método comportamental consiste na exposição gradativa ao objeto (Que não necessariamente precisa ser um objeto, mas pode ser uma situação) fóbico, o que exige da pessoa em tratamento bastante perseverança e coragem. Afinal, não é todo mundo que ficaria na boa em contato com a coisa que mais lhe causa medo na vida, não é?

O método cognitivo consiste em reorganização de ideias sobre o que causa medo, o que pode ser obtido através do conhecimento de tal objeto e a obtenção de informações sobre ele.

E o método psicodinâmico busca o entendimento e elaboração do significado simbólico do sofrimento e os sintomas desenvolvidos. Ao meu ver, é o clássico conhecer para saber lidar com.

E, aproveitando o assunto, queria comentar sobre algo que aconteceu dentro da escola com uma amiga minha. Ela tem, tipo, muito medo de bonecas. Isso é uma fobia, denominada automatonofobia. A automatonofobia é mais comum do que muitos pensam e não são só crianças que sentem esse medo, também existem adultos com esses sintomas.

Enfim, minha amiga morre de medo de bonecas e bonecos, mas ninguém sabia disso. Então minha turma ia organizar um trabalho sobre educação, e quiseram criar um ambiente infantil na sala, para mostrar que a educação tem que começar desde a pouca idade, e blábláblá, enfim. Para caracterizar a sala assim, levaram brinquedos que incluíam, é claro, algumas bonecas. Descobriram do medo da minha amiga, e um querido (-N) colega de classe JOGOU uma boneca na menina. Simples assim, jogou a boneca nela, o que pra mim, e provavelmente pra boa parte das pessoas que estavam lá, ou que estão lendo isso, não tinha importância nenhuma.

Mas a menina tem FOBIA da porra da boneca. Ela se desesperou, é claro, começou a chorar na frente de um monte de gente, incluindo o menino que ela gostava, e algumas pessoas que merecem muita porrada ficaram rindo dela. Até pesadelos ela teve à noite. A única coisa errada que ela fez foi sua atitude: Ela não quis punir ninguém, não quis prejudicar ninguém, então não disse o nome de quem foi, e nada foi feito então. Eu teria dito, mas ela não me deixou também, que fique claro.


Enfim, fica registrado aqui o meu ódio por você, colega que jogou a boneca. É sério. Eu odeio muito você. Me imaginei claramente indo até a criatura e dando um SOCO naquela cara tosca dele, mas depois me imaginei sendo suspensa. Se bem que seria a suspensão melhor recebida da minha vida.

Moral da história, não mexa com as fobias das pessoas. Isso não é bom, não é certo, não é legal. Pode até evoluir e piorar a fobia da pessoa. Não tente forçá-las a encarar seus medos, isso não vai dar certo. A vontade de superá-los tem que vir da pessoa. Se não, de nada adianta.

É isso, queridos e queridas. Beeeeeeeeeijos! :*

segunda-feira, 26 de julho de 2010

O vasto mercado de opiniões

Olá descaprichantes *-* Meu computador morreu (depois de alguns socos e uns ataques de raiva, er, meus) e eu estou no computador do meu irmão, que não pareceu muito feliz ao me ceder sua fonte de vida (-n) para Jujubets poder vir postar aqui y_y Mas ele deixou né, isso é o que importa. Mesmo que o teclado dele seja muito ruim e
Enfim, esses dias eu estava vendo umas coisas aleatóriamente pela internet e eu percebi como as pessoas tão cada vez mais anti tudo. E isso só me remete a um cara de óculos de aviador e uma parede cheia de coisas: Felipe Neto. Contra ele eu não tenho nada, pelo contrário, sigo ele no twitter e concordo com 90% das coisas que ele fala. O problema é que as pessoas tão levando as opiniões dele como regras. Galere, oi não são regras, são opiniões.
Minha mãe fez um post no blog dela há algum tempo atrás falando sobre isso, opiniões pré fabricadas, embaladas, pronta entrega, frete grátis. É isso que tá acontecendo com as opiniões: virando padronizadas. Ou você é super cool, cult, fica quotando o Felipe Neto o tempo todo e vira anti tudo ou você é um corpo desprovido de inteligência, que usa roupas coloridas e fica gritanto "DIUSTIN BIEBER LINDO" por aí.

Tipo, tá, peraí pessoal. Só porque o Felipe Neto tem aqueles coisos na parede, usa camiseta dos Beatles, tem um óculos aviador (comentário nada a ver aqui: graças a Deus que ele aposentou aquela coisa que usava antes a_a) e parece super ~~cult~~, além de ser respeitado pela maioria das pessoas não significa que você precise vestir todas as opiniões dele como se fossem uma roupinha féxiom e sair por aí desfilando com suas opiniões já aprovadas, respeitadas e tudo mais. Porque, veja bem, é a opinião dele (ou do personagem que ele representa em seus vídeos, tanto faz), não a sua. Eu sei que tem toda a coisa de adolescência, insegurança, desespero por existir e tal. Mas caramba, você devia estar formando sua opiniao agora, não aderindo a uma opinião alheia. É claro que você pode concordar com as pessoas, mas não para parecer mais legal, mais inteligente ou sei lá.
E é por isso que está virando modinha odiar modinha. As pessoas veem como os pioneiros, odiadores de modinha, são divos pop, respeitados, inteligentes e querem ser como eles. Mas ter as mesmas opiniões que alguém não significa que vão te tratar de maneira diferente. Porque são pessoas diferentes, oras.
Veja nós sete (ou mais, já que a Blanca ás vezes posta e logo a outra Thais vai substituir a Luna), apesar de compartilharmos várias opiniões, somos diferentes. E obviamente não compartilhamos TODAS as mesmas opiniões, e tampouco queremos que você ache a mesma coisa que a gente. Sabe, não queremos impor um padrão a vocês, sendo que nós mesmas saimos desse padrão, já que somos diferentes. Você não precisa odiar crepúsculo, restart, Justin Bieber e tudo mais para gostar do blog. Nós ás vezes falamos mal? Sim, claro. Mas você não precisa concordar com a gente porque gosta do nosso blog, ou por causa das nossas quase 15.000 visitas.
Tenha a sua opinião, nós temos a nossa e podemos discutir quando você quiser. O idiota é você começar a achar as mesmas coisas que a gente pra ter 15.000 visitas no seu blog, também. Aí não faz sentido algum.

>> Mas ás vezes eu não tenho opinião sobre nada, sou uma grande ameba D: O que fazer?
Olha, muito provavelmente você não vai ter opinião sobre tudo. Eu não tenho opinião formada a respeito de, sei lá, política. E isso obviamente me impede de sair por aí gritando que o governo tá uma droga, que o certo é votar no fulano porque isso e aquilo, sendo que eu não sei NADA do assunto. Gente que fica causando pelos lugares, falando do que não sabe nunca vai receber aplausos e exclamações do tipo: Oh! Você me convenceu! Quanta inteligência reunida em apenas um homo sapiens! Então, se é esse seu sonho de vida, esqueça. Pelo menos falando mais do que ouvindo, você não vai chegar a lugar nenhum.
Para poder falar, se manifestar, você tem que ter ouvido um pouco. Saiba sobre aquilo que você fala, ouça o que os outros tem a dizer e aos poucos vá criando a sua opinião. Vestir a opinião de outro, ou inventar uma nada a ver pra você jamais vão te fazer ser uma pessoa melhor. Então, em vez de ficar falando você tem probleminha pras pessoas que usam calças coloridas (eu tenho 4, e usá-las não interfere na capacidade dos meus neurônios nem nada do tipo) ou falando que o mundo é um absurdo, procure ouvir mais e falar menos. Ouvir e conhecer os dois lados da situação, principalmente.

Agora, mudando drasticamente de assunto, deixa eu falar de uma nova moda super fexiom que surgiu: vídeos falando a sua opinião. Ou vídeos falando sobre qualquer coisa.
A grande questão é que não é porque alguns conseguem uma fama boa com vídeos que você vá conseguir também. A prova disso é essa guria:


Ela achou que ALGUÉM ia levar ela a sério depois disso? Acho que não, hã, risos mil. Então um pocket post falando sobre como fazer vídeos que não sejam completamente idiotas:
- Um roteiro: Não precisa fazer todas as suas falas, mas tenha noção do que você vai falar e a continuidade das suas falas. Senão você vai entrar num raciocínio nada a ver de olho gordo @_@
- Edição: Movie Maker é vida. Corte as partes que você esquece do que ia falar, coloque um título, uma coisa caprichada, caramba.
- Luz: Cate uma luminária, sei lá, mas não deixe aquela coisa escura e idiota
- Fale com a boca: não fique murmurando e falando como você fala normalmente.Tem que falar mais exagerado, gesticular, sei lá, como se você estivesse atuando. É importante saber falar bem.

Bom, fiquei aqui com o meu post, espero que tenham gostado e se lembrem de sempre conservarem suas opiniões, mesmo que fiquem te xingando por causa disso. Quem vai contra a moda é xingado, quem vai a favor dela também é xingado, então vá apenas a favor de você, ok? E quem fizer um vídeo seguindo as minhas super ~dicas~ comente com o endereço dele *O*

Beijocas e Pipocas! q

PS: Pela milionésima vez, eu gosto do Felipe Neto. Não venham de xingação nem nada disso, caramba. Eu gosto dele, das coisas que ele fala e tal, só não me agrada a ideia que as pessoas perderam suas próprias opiniões para ficarem pagando pau pra ele. Isso chega a ser ridículo, desse jeito logo logo ele vira uma das próprias coisas que ele tanto critica.

domingo, 25 de julho de 2010

Férias não-óbvias

Oie!

Então, ainda resta aquela semaninha de férias, né? Aquela que você já começa a sentir saudades de estar na escola, com os amigos, já não sabe mais o que fazer, mas também não quer que as aulas começam porque sabe que depois só em Dezembro...

É, entendo.

Mas pelo menos a maioria de vocês não teve só duas semanas de férias, e ainda teve que ESTUDAR nelas, como eu. A não ser que você esteja no cursinho ou no terceiro ano. .___.’

Mas então, como lidar com essa última semaninha?

Porque a maioria dos “guias de férias” que a gente encontra só falam o óbvio, que você com certeza já tinha pensado em fazer antes de alguém te dizer, tipo “assista todos os filmes e séries que você queria”, “viaje”, “saia com a família e amigos”. Ok, claro, como se ninguém tivesse pensado nisso antes. ¬¬

Enfim, chegou esse finalzinho e acabaram as idéias do que fazer? Já viu todos os filmes, já tirou o atraso das séries, já não tem mais nada pra fazer na sua cidade? Eu te ajudo, porque criei um guia de coisas não-óbvias para se fazer nas férias! \o/

Dê uma de cozinheira


Eu adoro fazer doces. Não que eu já tenha feito muitos, mas adoro. :D
Enfim, quando bater aqueeela vontade de comer alguma coisa doce e caseira com gosto de chocolate, sei lá, vá fazer! A maioria dos ingredientes sempre tem em casa e é fácil ir até a próxima padaria e comprar em 5 minutos.

Mas não precisa ser nada muito elaborado, tipo torta de morango ou pavê de maracujá. Coisas simples como um brownie, um brigadeiro de panela, uma mousse de chocolate... Podem alegrar o dia com um pouco de endorfina.

Pra te ajudar, eu resolvi colocar aqui uma receitinha de um brownie que eu fiz semana passada (peguei daqui, aliás), com algumas dicas a mais. :D

Brownie de chocolate

#ingredientes
• 10 colheres de sopa de margarina (ou 2 tabletes) (120g)
• 1 xícara de chá de açúcar (160g)
• 3 ovos
• 2 xícaras de chá de chocolate em pó (180g)
• 1 xícada de chá de farinha de trigo (120g)
• 1 colher de sopa de fermento (12g)
• 1 xícara de leite (240mL)

Para a cobertura:
• 1 lata de creme de leite
• 2 colheres de sopa de açúcar (20g)
• 4 colheres sopa de chocolate em pó (24g)
• 1 colher de sobremesa de margarina

#comofazer
Já separou todos os ingredientes certinhos na sua mesa? Ok, então agora de por a mão na massa!

1. Pegue os ovos e separe as claras das gemas. Se você não souber fazer isso sem sujar a cozinha inteira e acabar aproveitando só um ovo de dez, assista o videozinho explicativo aí embaixo:


Ignore toda a parte dos recipientes metálicos médios e pequenos, tenho a ligeira impressão de que o cara só falou tudo aquilo pra encher lingüiça. Tá você já viu como fazer?

Agora bata as claras em neve, de preferência com uma batedeira se você não quiser ficar mil anos batendo e acabar com o seu braço. ._. Enfim, a clara fica boa quando parecer uma coisa fofa e branquinha e formar picos.

Então você deixa a clara em neve de lado por um momento. :]

2. Junte a margarina e o açúcar e bata com velocidade alta na sua batedeira, até formarem um creme amarelo e pegajoso.

3. Vá juntando o resto dos ingredientes aos poucos ( e desligue a batedeira antes de colocar cada um, se não vai voar farinha e chocolate em pó por todo lado da sua cozinha – experiência própria!). Quando formar uma massa homogênea, ou seja, da mesma cor e sem nenhum floquinho de manteiga ou farinha restando, você pode desligar.
Dica: peneire o chocolate, o açúcar, farinha, etc., ao colocar na massa. Acredite, essa pequena coisa faz uma grande diferença. Isso deixa a massa mais leve, mais fofa, enfim, uma dica.

4. Agora pegue a massa e misture com uma colher (ou pão-duro) as claras em neve. MISTURAR! Nada de bater. Tem que ser uma coisa suave.

5. Unte a forma com manteiga e farinha e despeje tooda a massa, e então leve ao forno pré-aquecido em +/- 220°C. Deixe lá de 25 a 40 minutos. Na hora de testar a massa com um palitinho, ele tem que sair com um pouco de massa, já que o brownie é mais úmido que o bolo normal.

Dica: No site em que eu peguei essa receita, algumas pessoas falaram que parecia mais um bolo do que brownie, porque não foram nozes ou castanhas na massa. Eu achei muuuitas receitas totalmente diferentes inclusive no modo de preparo, e algumas com nozes e outras sem. Então acho que vai do gosto de vocês. Caso queira colocar, faça isso misture bem as nozes ou castanhas do Pará picadas na massa antes de colocá-la no forno. Realmente, deve ficar muito bom!

Agora a cobertura:
É bem, simples. Espere o bolo terminar de assar (senão a cobertura vai endurecer) e comece a fazer. Junte todos os ingredientes em uma panela e leve ao fogão em temperatura média (+/-220°C), e fique mexendo até começar a ferver. Não deixe passar muito do tempo, senão a coisa pode ficar dura demais.
Prontinho! Depois de assar, despeje a cobertura por cima e FIM.
Deixe esfriar até comer, claro, e fica muuuito bom com sorvete!

Caso você tenha feito ou tenha alguma dúvida, deixe aí nos comentários sua experiência hahaha.

E você também pode postar receitinhas, lá na comunidade da Descapricho e compartilhar com a gente suas próprias experiências. :D

Mas você quer passar longe de cozinha? Tá, você ainda pode fazer...

Tsurus

Ou melhor, o origami do tsuru, que é um dos mais tradicionais e simbólicos do Japão! ^^
Tsuru é um pássaro sagrado por lá, que representa a longevidade e juventude. Diz a lenda que quem fizer mil tsurus concentrando seus pensamentos em algo que queira muito terá seu desejo realizado e boas energias.

Nos momentos de absolutamente nada pra fazer não custa tentar, né? Quem sabe não se realiza mesmo... :]



Eu comecei a fazer alguns essa semana, e gostaria muito de chegar a mil por alguns motivos. Parece difícil, mas quando pega o jeito a coisa começa a fluir e é viciante! Se você souber aproveitar, consegue fazer uns 6 ou 8 tsurus com uma folha sulfite normal, por exemplo. (não vamos gastar papel a toa por aí, né?), até porque os de tamanho menor geralmente ficam mais certinhos.

Caso você não queria fazer um monte de tsurus brancos e só, customize a sua folha com desenhos, padrões, listras, etc. pegue uma caneta e viaje na batatinha! Eles ficam lindooos e personalizados!

Quem sabe até o fim do ano você não chega nos mil e encontra o amor da sua vida, hein? A_A

Mas não precisa fazer SÓ tsuru, apesar de eu achar a simbologia dele maravilhosa. Existem vários tipos de origamis por aí, um mais lindo que o outro. É só jogar no Google ou no youtube que você acha vários exemplos e modos-de-fazer.


Faça receitas caseiras para cuidar da pele e do cabelo.


É, tipo, creme de abacate com mel pra passar no cabelo e deixar ele macio, banana com aveia pra hidratar, suco de limão com água pra acabar com caspa. Tem TANTAS receitas caseiras pra cuidar de pele e cabelo que não dá pra simplesmente ir colocando aqui.

Eu vou colocar minha experiência meio #fail com o abacate com mel:
Tipo, eu decidi testar a receita ~mágica~ pra deixar o cabelo macio e hidratado, né, ok. Acontece que minha mãe que tinha dado essa idéia, e ela simplesmente não bateu o abacate com as colheres de mel no liquidificador, e sim na mão mesmo. Enfim, NÃO dá pra fazer uma coisa direito quando têm pedaços de abacate na sua cabeça, além de um cheiro não muito agradável. Mas no fim deu certo. Meu cabelo ficou mesmo mais macio e o cheiro de abacate nem pega (mas tem que lavar bastante, né).

Então, caso vocês queiram fazer isso eu recomendo bater MUITO BEM a fruta e colocar uma touca. É bem simples, só misturar e colocar no cabelo já lavado com xampu, etc. depois enxágüe a mistura com muita água e pronto.

Eu criei dois tópicos na comunidade da Descapricho pra vocês postarem suas dicas caseiras pra pele e cabelo.

Espero que vocês tenham gostado das minhas pequenas sugestões. :D

Beijos, e bom restinho de férias!
E comentem :]

P.S.: Hoje é dia do escritor brasileiro! Parabéns a todos os escritores brasileiros que sofrem bastante pra terem seus livros publicados e lidos, a todos os blogueiros, e a todas aquelas pessoas que escrevem só pra desabafar um pensamento...

sábado, 24 de julho de 2010

Cabeça de Vento + Dicas

OIEE

Bom dia (ou será boa tarde?) descaprichetes divas!

Vocês já viram o mais recente livro da Meg Cabot que foi lançado, Cabeça de Vento? Eu o li esses dias e vou falar um pouco dele pra vocês.






Esse é o primeiro volume da série “Airhead”, seguido por Being Nikki (que pode ser encontrado na internet pra download, traduzido pela comunidade ‘Traduções de Meg Cabot’), e Runaway.

Em Watts é craque no que diz respeito a videogames, computadores e é super boa em matemática. Ela tem seu melhor amigo, Christopher (por quem nutre uma paixão secreta), que também tem os mesmos gostos que ela, mas a trata como se fosse ela não fosse uma menina. Em realmente acha que ele pensa que ela é um garoto.

Tudo acontece quando ela é obrigada a ir à inauguração de uma loja com a irmã dela, que queria um autógrafo do famoso artista britânico Gabriel Luna e da modelo super badalada Nikki Howard.
Para salvar Frida de uma televisão de plasma se solta do teto, Em se joga na frente dela. A boa notícia é que ela salva a irmã; a má é que a TV a atinge em cheio.

Não é preciso dizer que o corpo de Em ficou todo estraçalhado, né?

Só que no mesmo dia um acidente acontece com a modelo Nikki, que sofre morte cerebral. Depois de uma operação caríssima, os médicos implantam o cérebro de Em no corpo de Nikki. É divertidíssima a cena que Em descobre que não é mais Em, e sim Nikki Howard.

Agora ela tem que viver a vida de Nikki, já que seus pais assinaram um contrato dizendo que Em honraria todos os deveres de Nikki, assim como viver a vida dela, caso contrário teriam que repor a quantia de dois milhões de dólares, o preço da cirurgia.

Em se mete em cada uma, gente! Ela de uma hora pra outra descobre que sabe beijar (bom, o corpo de Nikki sabe), que pousar para tirar fotos não é nada fácil, e que agora seu paladar prefere peixe grelhado a sundae de chocolate.

Além de que tem a amiga de Nikki, Lulu Collins, que é muito engraçada (e,hm, burra que dói) ! Ela acha que Em/Nikki sofreu uma trasferência espiritual, que nem em Sexta-feira muito louca e até se oferece pra chamar sua professora de Yoga pra desfazer tudo.

É uma leitura super divertido, bem naquele estilo Meg Cabot que a gente bem conhece. É um livro que eu recomendo, e muito. Como eu sei que a editora vai demorar anos luz pra publicar o segundo volume, já baixei meu e-book e assim que der vou começar a ler.

Mudando um pouco de assunto: a leitora Verenna sugeriu que eu fizesse um tipo de guia, pra quem quisesse seguir o mesmo pacote que eu na Disney, com os preços da viagem e quanto eu gastei.

Assim, eu sou péssima em fazer guias e tal, mas posso dar umas dicas, dependendo do pacote. Me baseando no pacote que fiz (Miami e Disney), essas são as minhas dicas:

1.Eu não sei quanto custou o meu pacote, mas o que eu sugiro que você e sua família pesquisem bastante, pra depois não dar problema se a agência for fake. Pesquisem TUDO (preços principalmente), não deixem nada pra depois, e tentem ao máximo ir com gente conhecida, porque é sempre mais divertido. Não que ir com outras pessoas não seja, pois eu conheci muita gente nova por lá, e que hoje já se tornaram muito importantes pra mim.

2.Se for só pra Miami e Disney, levar uns mil dólares dá e sobra (pra mim sobrou 18 dólares, e deu pra eu trocar por real e comprar Cabeça de Vento! [:)

3.O melhor lugar pra comprar perfumes é em Miami. Sério, tem uma loja lá que os preços são muuito bons: um 212 sexy, por exemplo, aqui sai quase R$300,00. Lá eu comprei por 40 dólares. Então, se for comprar perfume e maquiagem, é em Miami, don’t forget!

4.As coisas no complexo Disney e nos parques da Universal são muito caras! Só compre coisa lá se for algo específico, que só tenha em tal parque. Tipo, eu só gastei mesmo no Parque de Harry Potter, nos outros parques só com alimentação e alguma coisa que não fosse muito cara (tipo minha camiseta do estranho mundo de Jack, por 11 dólares, milagre!)

5.Comprar lembrancinhas praquela tia que só te ligou no dia da viagem pra te lembrar de comprar presente, ou praquele primo birrão, aquele tipo que você não vê há uns 10390348058 anos, praqueles parentes aleatórios, é no WallMart. Sério, tem camisetas lá por 3 dólares! Chaveirinhos do Mickey por U$ 1,25,e Barbies e Princesas da Disney por U$ 6,00!

6. Se der, comprem pão, manteiga e queijo no WallMart, porque comida na disney é cara, e como você chega mais ou menos às 23:00 dos parques, já tá cansada e tudo que quer é cair na cama. Mas como também tá morrendo de fome, dá pra comer um sanduíche, e ainda sobra pro café-da-manhã. E resta mais dinheiro pra gastar nas lojas, vejam que vantagem! rsrs

Esses foram os tópicos que me lembrei agora, mas se alguém tiver alguma dúvida ou pergunta específica, pode deixar no comentário ou mandar um e-mail pra Desch, que eu respondo :D

Beijos e até próximo sábado!

sexta-feira, 23 de julho de 2010

King Kong em escala familiar

Oi, meu nome é Janete, moro numa quitenete e
Não.

Tá. Meu nome é Blanca, e não Janete. Blanca com L. Quem leu "BIanca", pode comentar, é bem comum. Blanca Aleksandravicius. Ah, e eu não moro numa quitenete, moro numa casa. ._.

minha casa -NNNNN

Enfim, como vocês podem ver, não tem nenhum "Blanca" alí ao lado, no nome das 7 divas desse blog. Mas eu já postei aqui umas vezes, AEAE. A Danete pediu para eu substuí-la hoje, CORRENDO. Cá estou, um tantinho atrasada.
Ai, você deve estar pensando "para com essa porra e começa o post, baralho!". Desculpa os palavrões, mas a mente humana é capaz de muitas coisas. Tou mentindo? Tá, tá, Bramks. Simbora.
--
Resolvi, nesse momento, falar sobre as pérolas familiares. Gosto de fazer as pessoas rirem, e, cara, nada mais engraçado que histórias de família. Ah, quem não tem aquele tio velho chato? Ou aquelas situações extremamente vergonhosas em almoços-cheios-de-gente-desconhecida? Aposto que ninguém. Vamos começar pela minha querida vovó Déia?

Estava euxinha muito bem usando meu PC querido, no aniversário da minha querida mãe. Ela havia saído e eu estava atendendo todos aqueles parentes que dizem "ok, te ligo depois, minha querida! Saudades, sua voz é muito parecida com a da sua mãe!!!!" e de saco cheio. Daí o telefone toca.
"Mais uma...", penso. Inocente.
- Alô? - minha má vontada tava bem presente, acredite.
- Elaine? - era vovó, me confundindo com minha mãe.
- Não, vó, sou eu. Pode ter certeza que dou parabéns pra mãe pela senhora, tá? Bei...
- Calma, filha, tudo bem, já dei parabéns a ela. Estou com um probleminha com o computador.
PQP, problema com computador é flórida com a Dona Eudea. Ela tem Orkut, MSN, Skype e já foi dona de um curso de Informática. Mesmo assim...
- Diga, vó.
- Menina, tem uma quadradinho azul no monitor. Surgiu assim, de repente, eu não consigo tirá-lo! Já desliguei e liguei o monitor e ele não sai de lá!
Do jeito que vovó é cega, já estava pensando ser um mosquito bem-nutrido. Mas azul? Não.
- E o que está escrito no quadradinho, vó?
*pausa mais que necessária*
- Bríguitinex.
AHN?????????
- Bríguitinex, minha filha. Fala com seu pai, ele sabe o que é.
- Papai não está, vó. Como é mesmo o nome do negócio?
- BRÍ-GUI-TI-NÉX! Tá surda, minha filha? Com a minha idade vai estar pior que eu!
Daí eu entendi. E gargalhei, gargalhei, mas gargalhei MUITO.
- AH, VÓ, BRIGHTNESS? HAHAHAHA! Desliga o computador e liga que ele desaparece. Normalmente é no monitor, mas pelo o que eu vi, não deu certo. Beeeeijos! - desliguei.
Ai, meu pai. Briguitinex. Taí, o Bill Gates não pensou nessa!


Outra vez foi a que eu estava de boa, vendo TV. Telefone toca.
- Alô?
- Quem é?
Era a vó.
- Oi, vó, tudo bem?
- Quem ééé?
- É Blanca, vó!
- Quem?
- BLANCA, PO***!
- Não fala palavrão, minha filha! Seus pais sabem disso?

Eu mereço? MEREÇO? Pombas, estudo, minhas notas baixas são fruto de uma mudança radical de colégio, estou me esforçando à beça pra melhorar e Deus, Alá, Richard Dawkins (QUE SEJA!) me vem com essa. É flórida, viu?


E quando a família TODA se reúne, então? Vish.
Tava eu numa festa dessas. Um tio tinha feito 80 anos, aquela coisa toda de "chama os parentes da Argentina que o homem vai morrer". Daí tava eu lá, toda alegrinha conversando com meus primos que não eram do Rio, me vem um tio velho. Aquele papo de "nossa, está maior que eu!". Daí eu sorrindo falsamente, de repente a criatura me pergunta:
- E aí, minha filha, já beijou na boca?
EU TINHA UNS 10 ANOS!!!!!!!!!!!!!
E ele perguntou isso VÁRIAS vezes.
- Tio, heh, pera que a Fulana tá me chamando...
- Ok, então depois você me responde, tá, boneca?
BONECA É A...
Falei com a minha mãe disso e ela disse que "é por que meu tio acha que eu cresci rápido demais, tais perguntas são necessárias". Ai. Meu. Deus. Pombas, esperava-se que eu crescesse, né, miguxo? Meu pai é bem alto, pelo visto você é cego ou #temprobleminha!

Familia da parte de mãe!


Mas a vida é assim, né, galerinha? Por mais que a gente ache que nossos tios, tias, padrinhos e tudo o mais precisam de um belo #tratamento, bem, vamos ter que aguentá-los para sempre! O jeito e responder sempre educadamente pra não fazer da vida uma novela do Manoel Carlos.

Então, quem gostou: FAZ BARULHO, CALDEIRÃO!
Brincadeira, brincadeira! Ninguém aqui ta num Fla-Flu da vida. Gritem menos e comentem!

Beijos, beijos e milhares de beijos. *-* -Q

Blanca.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Desculpas, sei lá

OIEE!

Tá, é a Bárbara aqui, de improviso total, rs.

Entãão, vocês lembram que a Luna disse que teria que pedir licença do blog por um período porque ia se mudar e não sabia ao certo se poderia postar? Ela foi essa semana. E acabou que a gente não combinou nada de quem ia postar, então eu estou aqui completamente perdida improvisando mesmo, YAY.

Anyway, eu sou perdida. Nenhuma novidade.

Eu sei que vocês devem estar pensando “Que droga”, porque queriam um post da Luna diva. Mas um dia a mais comigo não é assim TÃO ruim, vai. Eu vou falar de coisas aleatórias, tipo, porque eu sou bem aleatória. Tá, a Joubs é mais aleatória que eu, ela é quase... um pixel. Quer coisa mais aleatória que isso? –Q

Parei.

Enfim, não sei se vocês sabem, mas eu sou muito desastrada. Do tipo que faz cair coisas do nada mesmo, que estavam perfeitamente paradas. Mas eu vou lá e PUFF, alguma coisa cai. E tipo, eu já enfiei o meu pé na lama, LITERALMENTE. Como lidar? E o pior é que eu rio de mim mesma. Tipo, as pessoas da minha sala dizem até que eu tenho altos poderes e que faço as coisas caírem por ~MAGIA PURA~~ e que um dia eu vou acumular tanta energia que vou explodir o prédio, etc.



Não sei se é algum complexo de Mia Thermopolis ou o quê, só sei que eu sou MUITO desastrada. Não que isso realmente seja relevante pra vida de vocês, quero dizer, mas talvez vocês também se identifiquem com isso de ter um campo de gravidade mais elevada ao seu redor. Mas nem se descabele e leve isso muito a sério, porque quanto mais você realmente se importar com isso, mais as coisas vão acontecer, e falo por experiência própria, rs.

O que você pode fazer pra evitar que as coisas caiam? Mais atenção, talvez? Não que isso realmente funcione, mas a maioria das vezes algum desastre acontece porque nós estamos no mundo da Lua, como o Lucas Silva e Silva e -t.

Por falar em Lucas Silva e Silva, QUEM nunca quis ter aquele gravador, cara? Tipo, um dos meus sonhos de criança. *-*



Ok, mas ignorando o lado nostálgico da vida, eu vim aqui principalmente pra pedir desculpas pela pequena falha de organização e não deixar o dia em branco. Afinal quartas-feiras são absolutas. Não tão absolutas quanto os domingos, claro, porque domingo é o meu dia. :D

Não, Bárbara, domingo é um saco. Tem Gugu, Faustão, Eliana, enfim, TUDO NUM DIA SÓ! U_U’

É, verdade.


Outra coisinha, vocês podem comentar mais, por favor? u_u’
Aqui não tem espaço pra vergonha, mocinha, pode até xingar se quiser que tá valendo. Hm

(gente, o Word sublinhou de verde a palavra “xingar”, porque o mais adequando seria “falar mal”, acreditam? Odeio esses sublinhados, apesar de serem úteis as vezes hm)

Enfim, comentem mais, xinguem mais, mandem mais e-mails, tudo mais. Mais é melhor.
Ah, sigam no Twitter também : @descaprichos
E ok, já que é seção merchan, entrem na comunidade! Aquilo lá está seriamente às moscas, rs.

Nunca falei tanta besteira junta, acho.

Não sei quando a Luna vai poder voltar (nem ela sabe), mas por enquanto serão posts de quarta diferentes. Provavelmente a chata querida Thais vai substitui-la, só que como eu tenho quase certeza de que nada foi combinado ainda, resolvi fazer esse post.

Mais uma vez, desculpas. :]

Quanto ao caso de uma nova integrante: estamos pensando.
Seria ótimo que vocês opinassem também nos comentários ou na comunidade, porque temos MUITO medo de que seja #fail, etc.

~fim~

Beijos! :*

edit: gente, eu não sei o que aconteceu com a Franci ontem pra ela não ter postado, mas já fica aqui também o pedido de desculpas pelo post de quinta, ok? Beijos!

terça-feira, 20 de julho de 2010

Fifteen

Boooa tarde, queridas e queridos! *-* Sorry about the delay, hehe, estava viajando e planejava chegar mais cedo mas não deu, né.

Eeeenfim, o assunto desse post pelo menos não foi pensado hoje às pressas nem nada. Eu pensei em escrever sobre isso durante a semana, quando fui com minha mãe ao Laboratório em que ela trabalha (A título de informação, minha mãe é Farmacêutica Bioquímica ;] ), e, na saída, encontramos com uma amiga dela que ela não via havia muito tempo. A moça me viu e foi aquela coisa de sempre, né, “É sua filha? Como está graaande!”, e eu, “Hahaha, é né.”

Daí a mulher perguntou, “Com quantos anos já está?” e eu respondi, né, “15”. E a mulherzinha ficou olhando toda maravilhada pra mim, hm, me assustou um pouco, mas enfim. O fato é que depois eu fiquei pensando que se eu tivesse respondido qualquer outra idade, não ia ter o mesmo significado que os 15 anos que eu realmente tenho.

Porque, hm, por algum motivo, as pessoas mais velhas, em especial mulheres, acham que ter 15 anos é lindo, que essa fase é muito boa. Talvez seja porque elas já passaram dessa idade, e agora veem (Nova Ortografia, opa, rs.) que tinham vidas muito boas nessa época, sem responsabilidades muito grandes, nem nada do tipo.

É como se os 15 anos de uma menina (Convenhamos, não quero ser machista ou feminista nem nada, mas uma menina com 15 anos é totalmente diferente de um menino de 15 anos.) fossem uma fase de transição, em que ao mesmo tempo que ela ainda tem muita vida pra curtir, muita coisa do mundo para conhecer, e agora ela já entende perfeitamente o contexto em que vive, seja esse o de um país superdesenvolvido como os da Europa, ou um país miserável da África (Sem preconceitos), a pessoa percebe, compreende que está inserida ali e entende o mundo em que vive e o que tem além deste.

Tá, RETOMANDO, ao mesmo tempo que isso ocorre, a pessoa com 15 anos já possui certas responsabilidades, já tem uma certa independência, e já sabe distinguir o certo do que é errado, então, já tem meio que a obrigação de fazer o certo.

Talvez seja por isso que é nessa faixa de idade que surgem tantas dúvidas, e eu nem considero revolta ou rebeldia. São só, hm, dúvidas mesmo. Porque a pessoa não sabe direito como agir, vivo pensando tipo, ‘15 anos é muito, mas, ao mesmo tempo, é muito POUCO!’. Ao mesmo tempo (Nossa, acho que já falei “Ao mesmo tempo” umas mil vezes nesse post, mas ta, né.) que eu ainda sou imatura, eu sinto a obrigação e pressão sobre mim, para que eu aja de forma madura, e isso é, hm, CONFUSO.

E, como a nossa querida Dani, daqui do blog, gosta de falar, é aos 15 anos que as meninas são apresentadas à sociedade, na clássica Festa de Debutantes. Ou, outra forma comum de se comemorar os 15 anos é com uma viagem, que, normalmeeente, é para a Disney. \o\


Tá, é muito feliz fazer uma festa de arromba e ter todos os olhares voltados para você durante uma noite, ou passar cerca de 15 dias curtindo as atrações dos LINDOS parques da Disney, mas, se você não tiver nada disso, não se desespere.

No fim do ano, completei 15 anos, e não tive festa de arromba ou viagem nenhuma. Minha festa foi como um churrasco, chamei todos os meus amigos e passamos o dia inteiro na piscina. E foi, tipo, MUITO BOM!

Então, não se revolte nem nada do tipo se seus pais não puderem (ou não quiserem, vai saber o que se passa na cabeça dos pais, tsc tsc) lhe dar uma Festa ou Viagem de 15 anos. Perceba que há vários outros jeitos muito bons de comemorar essa idade tão feliz e *-*

E aproveitem. Porque, se minha mãe tiver razão, dos 15 para os 30 é um pulo! Kk

Beeeeeeijos!

P.S.: FELIZ DIA DO AMIGO, ownt. *-*

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Show me your teeth

HEYHO FOLKS! Aqui é a Jujubete, falando do seu primeiro dia de aula depois das férias super (-n) longas. É, eu sei, isso é maravilhoso. Um zilhão de exercícios por dia, acordar cedo, 6 aulas e o desespero pré vestibular de sempre. Quem não ficaria animado com tais perspectivas? ~ironia~ Enfim, vocês lembram que no post passado eu disse que minha melhor amiga ia tirar o aparelho e tal? Ela acabou tirando no dia seguinte, no mesmo dia que eu coloquei o meu. Sério, isso foi de matar.
Mas com todo o meu clima de ~sorriso metálico~ eu resolvi fazer um post sobre exatamente isso: aparelho nos dentes. Até criei um tópico na comunidade da Capricho perguntando as meninas sobre aparelho e tal. Isso significa que a maioria das informações que eu vou colocar aqui vieram de meninas que já usaram ou ainda usam aparelho.

Bom, aparelho é uma coisa que você só acha super mágico e que super vale a pena quando você já tirou. Sério, na maioria dos casos, a pessoa acha aquilo MUITO tosco e inútil quando tá usando, mas ao ver seus dentinhos perfeitos e fofos, fala que tudo valeu muito a pena. Esquece de todas as vezes que ficou sem comer direito porque seus dentes doíam. É, fazer o que, as pessoas são muito estranhas.
De qualquer maneira, vale a pena. Ver seu sorriso perfeito é o maior sonho de grandes pessoas mundo afora -n
Essa é a sua evolução no tratamento, basicamente e -n

Tá, chega de falar as coisas que todo mundo sabe. Afinal de contas, não é nenhuma novidade que aparelhos melhoram os dentes e a coisa toda. Então vamos as duvidas mais frequentes!



El poço pegah htinhos com meu aparelio????
Bom, vamos ouvir a voz da experiência, risos. A maioria das meninas disse que não faz diferença alguma. Pra elas né, porque o htinho maroto pode ter ficado com a boca toda ferrada.
Tá, ou não. Na maioria das vezes é apenas questão de costume. Para a Dani, que posta sexta feira e que pega geral (-snt) é bom ficar com meninos de aparelho, se eles beijarem bem.

E eu poço maskar xiklets???????????
O máximo que vai acontecer é o chiclete grudar em vários brackets (vulgo quadradinhos) e você ficar com a boca toda idiota. Não que isso tenha acontecido com alguém que eu conheça, mas eu sei que como a voz do desastre é dominante na minha pessoa, provavelmente na primeira vez que eu for mascar chiclete agora que eu tô com o meu sorriso metálico vai acontecer algo muito estúpido e impossível.

I o q eu poço komeh q naum vai grudah????
Que não vai grudar? Ok, vire anoréxica. Porque tudo gruda nessa droga. ATÉ SUCO GRUDA! -n Tipo tá, sopa, iogurte, danoninho e bebidas em geral não grudam. Mas todo o restro gruda. Principalmente pipoca, que já é um inferno quando você não usa, imagine quando usa?
Macarrão é uma droga também, parece que fica TUDO entalado nos ferrinhos u_u

A eskovassaum, komo devu faser???
Tá, tudo bem, como provavelmente você não quer estocar tanta comida nos seus dentes que daria para fazer uma refeição, porque seria bem higiênico e panz -n, você tem que escovar os dentes loucamente. Ou só dar uma ~passada de água~ depois de comer alguma coisa, pra tirar as coisas que podem ter ficado grudadas nos seus brackets.
Mas quando for escovar, escove bem. Use a escova interdental, aquela fininha (google) pra limpar bem seus dentuxos. Afinal de contas, seria muito idiota tirar o aparelho pra por dentadura, porque seus dentes ferraram completamente @_@


O aparelio maxuka???? Doi????
Sim. Nos primeiros dias você provavelmente vai viver na base da sopa, iogurte e suquinho. E todo mês, quando você for apertar, vai ficar uns dois dias doendo. Eu sei, é S U B L I M E -n
Mas você pode tomar um analgésico, como Tylenol, que melhora um pouco, acho eu.


Só que ESSES não são os maiores dilemas. Na verdade é a cor da borrachinha! Porque, caramba, isso que é realmente importante: a cor dos seus dentes por um mês todo! D:
~~DIQUINHAS~~
Branco&transparente: vai parecer muito maroto quando você sair do dentista, tipo ~não tenho borrachinhas!!~ mas depois vai pegar a cor da sua comida. O que significa que você só vai poder tomar água e comer nabo, se quiser que preserve a cor.
Amarelo: Eu não faria isso se fosse você. Foi a primeira cor que eu coloquei e ficou MEDONHO. Sei lá por que, mas fica feio.
Vermelho: Uma amiga minha disse que parece que sua gengiva tá sangrando. Outra disse que fica lindo, mas ela adora sangue, então provavelmente vai parecer que sua gengiva tá sangrando, RISOSMIL.
Roxo, rosa, verde, azul, laranja: aparentemente são as melhores cores, mas não escolha cores muito claras. E vai ficar tipo OI TENHO CORES NO MEU DENTE.
Cinza: Se você quer justamente evitar essa coisa OI TENHO CORES NO MEU DENTE, use o cinza, sério. Eu coloquei e parece que nem tem borrachinha, e chama menos atenção para seu aparelho :B

Mas você pode fazer combinações também! Colorido, caso você vá numa parada gay, verde e vermelho pro natal, verde e amarelo pelo Brasil (pra mostrar que você é patriota até fora da copa! qn), ou da sua casa de Hogwarts, sei lá. Mas em HIPÓTESE ALGUMA faça preto e branco, porque fica medonho. O preto vai dar a impressão de sujo e depois o branco vai ficar um nojo.

Então, acho que é isso. Devo ter perdido o meu dom de ser engraçada, porque esse post não tem nada idiota tipo uma foto de alface, ou uma super tirada marota, nem nada. É só um post normal sobre aparelhos ._. De qualquer maneira, espero que gostem e COMENTEM, CARAMBA! IS NOT THAT HARD D:
tá, beijos metálicos (não acredito que eu disse isso g_g) e até segunda que vem :*

domingo, 18 de julho de 2010

odd girl out

É o seu primeiro dia de aula na nova escola. Como sempre, muita ansiedade, muita expectativa. É assim até que você finalmente entra na sala, e tem a primeira, a segunda aula... Você é muito tímida, o que te faz ficar reclusa no intervalo, sem querer chamar muita atenção para si.
Os dias passam, e com o tempo começavam a surgir piadas ao seu respeito, músicas, zoações intermináveis na sala, pelo simples fato de você ser diferente do “padrão”. Por ser gorda demais, por ser magra demais, por ser estudiosa demais... Por um tempo, tenta levar na brincadeira, mas a coisa passa dos limites quando ao chegar em casa você vê uma comunidade feita pra te xingar, pra falar coisas absolutamente maldosas ao seu respeito sem o mínimo fundamento.

É, Bullying.

A palavra vem de bully, que é o chamado valentão em inglês. Sabe aquele cara dos filmes americanos que rouba o almoço dos nerds e joga excluídos no lixo? Exato. Ou seja, Bullying é basicamente o ato de humilhar as pessoas, de qualquer modo. De fazer piadinhas ao seu respeito, de agredi-la fisicamente, etc.
Pode parecer idiota falar disso, afinal, quem nunca levou um apelido engraçado na escola? Mas aí é que vocês se enganam, porque embora não pareça, é muito, muito sério. Acontece em qualquer escola, se não acontecer em todas. Principalmente no Ensino Fundamental, aqui no Brasil. E de tão extremo pode chegar até a tentativas de suicídio da vítima.

Mas por quê? Por que isso acontece? Por que algumas pessoas sentem tanta necessidade de humilhar o outro por puro prazer?


#Inveja
Não, isso não é o argumento para justificar o porquê você não gosta de alguém, nem passa perto. Mas quando a inveja é forte e daquelas ruins mesmo, implica na necessidade de fazer mal. Foi por inveja, por exemplo, que a Malu sofreu Bullying em seu intercâmbio para os EUA:

Ano passado eu fui morar nos Estados Unidos, e lá, eu cheguei e já fui muito bem recebida pelas pessoas que hoje são minhas amigas na escola. Só que os meninos sempre fizeram meio que ''graça'' por saber que eu sou do Brasil, sempre brincavam comigo, dizendo que eu era linda. Enfim. Algumas meninas da escola ficavam com inveja disso, e começaram a me ameaçar, e a me ignorar e pá. Eu tentei ignorar tudo aquilo, mas foi chegando a um ponto que não dava mais. Elas me humilhavam na frente de todo mundo na sala de aula, me empurravam, me batiam, e me provocavam.


Teve uma vez que uma delas, a ''líder'' da turminha, me empurrou e disse pra eu encontrar ela depois da aula, na quadra de basquete da escola, que eu ia me ver com ela. Eu falei pra ela que não ia brigar com ela, porque não tinha motivo nenhum pra isso. Ela me disse que eu era muito medrosa. Aí eu fiquei muito nervosa, e irritada, e falei pra ela assim: não, eu só não vou bater em você porque não encosto em lixo. Foi uma coisa que saiu por impulso, nem pensei duas vezes antes de falar. [...]


A diretora é tia dela, e não quis fazer nada. E por eu ter feito com que ela fosse pra diretoria, ela me odiou ainda mais. e ela começou a fazer coisas muito piores comigo. na educação física, enquanto a gente trocava de roupa no vestiário, ela sempre ia me provocar, me xingar, e chegava a me ameaçar. teve uma das vezes, que ela me empurrou com força, e eu bati as costas na fechadura do armário, e ela ficou me apertando contra o armário, e começou a me dizer coisas tipo : “se você não parar de dar em cima do MEU namorado, você vai se ver comigo”. Esse ''namorado'' dela é meu melhor amigo. [...]

Tenso pra uma história de intercâmbio, né? Depois o melhor-amigo dela a defendeu e disse que os dois não estavam namorando, mas a coisa continuou quando a garota ainda tentou ameaçar a Malu no banheiro, e a diretora continuou a proteger a sobrinha, até que ela foi com uma faca pra escola, o que é extremamente proibido por lá. Ligaram pra polícia e enfim a garota foi expulsa da escola. Ah, e o melhor amigo da Malu virou seu anjo da guarda. :]
 
Também é inveja um dos motivos pelo qual a protagonista do filme Odd Girl Out sofre bullying. Com a Alexa Veja (do filme dos pequenos espiões HAUSHAUH) esse filme mostra toda a situação vivida por Vanessa, uma garota popular que passa a ser humilhada por suas “amigas”. Eu já vi e chorei (acho, rs) porque é bom mesmo. Não é aquela coisa de Oscar e tal, até porque não passa de um filme adolescente, mas representa bem o que acontece. Recomendo!



#Aceitação
Problemas familiares, como pais ausentes, podem ter grande influência na hora de humilhar uma pessoa. Por exemplo, você acha que é mais fácil alguém com uma família feliz e em ~harmonia~ praticar o bullying, ou alguém que não tenha tido uma boa educação e uma presença dos pais? Fico com a segunda opção...
E também tem o lance da idade mesmo. Sempre queremos ser aceitos, e isso na escola parece que fica ainda mais forte. E é muito mais fácil arranjar logo uma vítima da sala e tirar o “perigo” daquilo acontecer com você. É muito mais fácil ficar indiferente ao que acontece do que acabar indo pelo mesmo barco e sofrer bullying também.

E daí a coisa acontece com o diferente da sala, seja qual for. Pode ser o aluno novo e tímido, pode ser a magricela ou a gordinha. Qualquer diferença mínima, seja física ou de personalidade, já é motivo pra um apelido “engraçado” e para zoações pelo resto da sua vida escolar. Isso quando você não e cansa e muda de escola, como a Ariel:

A uns dois anos atrás eu estudava em um colégio publico,era horrível,me zuavam por causa do meu cabelo,da minha aparência,roupas,pele,NOME e até porque eu tirava notas boas, acontecia todos os dias em todos os horários,insuportável.
Eu ignorava, mas começaram a fazer fofocas, inventar apelidos, rir da minha cara, dai começou a me afetar e chatear.
Vários dias eu cheguei em casa chorando, implorava pra minha mãe pra me mudar de escola, as vezes não queria nem comer com medo de engordar e ter mais um motivo pra me ofenderem, matei muitas aulas por receio de mexerem comigo e chorava antes de entrar na escola. Já me agrediram e ameaçaram algumas vezes.



Como Lidar?
Se você sofre bullying, primeiramente, se acalme. Eu sei como é difícil, como é MUITO difícil. Eu entendo que tudo que você queria era ter uma vida normal, era ser aceita, era não ter que passar por tudo isso. Mas você vai superar, tenha certeza.

Você NÃO tem culpa de nada. Os únicos culpados são aqueles que te fazem sentir mal. Esqueça esse pensamento e tudo o que falam de você e procure ajuda. Eu sei, é clichê falar isso, mas não tem outro jeito. A alternativa seria você conviver com tudo que te atormenta até ir para a faculdade, mas isso não é realmente uma solução efetiva, certo?

Tudo bem, não é tão simples quanto parece, afinal é preciso muita coragem para expor sua situação. Envolve vergonha, medo de mais brincadeiras de mal gosto, e até orgulho. Mas pense ignorando tudo ao seu redor e vá conversar com a coordenadora ou diretora da escola. Caso a diretora seja como a da escola da Malu, converse com seus pais.

Meu amigo sofre bullying, posso ajudar?
Pode sim, você pode dar apoio a ele e ajudá-lo a passar por essa situação difícil. Algumas pessoas são orgulhosas demais e acabam criando uma certa resistência à proteção. Por isso, não faça nada rápido demais, e nem trate a vítima como coitadinho ou com pena, só vai deixar a pessoa mais insegura e irritada. Converse com ela e aos poucos tome atitudes que mostrem que você realmente está do lado dela e a respeita. A Louise mandou um e-mail dizendo que ficou encarando um garoto quando ele zoou (?) sua amiga que tinha cabelo armado. Ela disse que ele ficou perturbado e parou, então fica a dica! HUAHSAU

E ela também tocou num ponto interessante: o modo como o assunto é tratado nas escolas. Tipo: “entreguem um trabalho pra semana que vem sobre bullying valendo nota”. Como se isso adiantasse alguma coisa! Ao meu ver, tinham que ser realizadas palestras e debates sobre o assunto, porque esse é um assunto realmente presente em qualquer escola que você vá. Sem contar que a punição deveria mais severa, como também disse por e-mail a Ana Luísa. No caso dela, dois meninos brigavam em frente aos armários da escola, até o garoto mais velho bateu a cabeça do outro neles, e quando os dois chegaram chorando, a responsável somente deu um sermão e pronto...


Mas enfim, antes da crise de auto-estima, lembre-se que vocês nunca serão os únicos a sofrerem isso, e que pessoas famosas (e maravilhosas) já tiveram grandes problemas com isso. Kate Winslet era chamada de baleia. Gisele Bundchen era chamada de Saracura por ser muito magra. Alinne Moraes era chamada de Bocão. Tom Cruise e Orlando Bloom eram disléxicos e também sofriam com piadinhas. Taylor Swift era a esquisita e excluída da sala. Enfim, muitos passaram por isso, muitos deram a volta por cima.

Você não é inferior, você consegue, SIM!

Post enorme, mas espero que tenha ajudado alguma coisa :]
Beijos!

P.S: Eu não pude usar todos os casos que me mandaram, então selecionei alguns e umas opiniões. Mas MUITO obrigada mesmo! *-*

sábado, 17 de julho de 2010

Where dreams come true

OIEEE!

Estou de volta! Como estão passando as férias? Como foram seus sábados lendo os posts da Bramks Maria da Silva Aleks?

Cheguei quinta-feira à noite, mas passei praticamente o dia de ontem inteiro dormindo,zzz. Aí, quando chega à noite, eu entro na internet pra conversar com as meninas, e tento colocar as fotos no ~~orkut~~. Imagine a minha reação quando descubro que a minha câmera lunática, que tava provavelmente possuída, tinha APAGADO todas as fotos automaticamente. Eu fiquei doida de pedra,né. Só faltei me jogar da janela, porque minhas fotos com o Mickey divo tavam lá. Depois de penar muito, consegui recuperar algumas fotos. Ufah!

Essa viagem foi tão divertida, tão legal! Sério, se você já foi, sabe do que eu estou falando; e se não foi e tiver a oportunidade, vá: você não vai se arrepender. Quem pode ir e não quer porque acha que 'é coisa de criança', só tenho duas palavras a dizer: é lamentável. Tem muita gente mais velha por lá, e cara, não tem idade pra ir à Disney: todo mundo se diverte, tem atrações para todos.

Antes de ir aos parques, passamos 2 dias em Miami. Cara, lá é o paraíso das compras! Perfumes lá, que aqui custam no mínimo 200 reais, comprei por 40 dólares. Fiz a feira,rs. No complexo Disney , as coisas são muito caras, mesmo. O bom é que ganhamos um copo que podíamos usar pra ficar repetindo refrigerante o quanto quiséssemos,sem pagar,hehe.

Caramba, nem acredito que vi o Mickey (a câmera possuída apagou minha foto com ele,mimimi)! Eu sempre tinha uma crise de risos quando ele começava a berrar, com uma voz bem gayzinha, e pedia pra gente repetir “Dreams come true! Dreams come true!”




E quando cheguei no parque HP (foi o primeiríssinmo parque!), endoidei,né. Foi a realização de um sonho. Estava lotado. Tudo, tudo, era igual aos filmes! Todas as lojas, o castelo, a comida...eu me senti em Hogwarts.

O primeiro brinquedo que nós fomos foi o simulador que ficava dentro do castelo. Pra minha infelicidade, confiscaram minha câmera antes de entrar no castelo: era proibido tirar fotos. Sabe o que é mais interessante? Quando nós entramos, tinha um monte de gente portando câmeras e tirando fotos. Fiquei louca de raiva. Mas tudo bem.

Dentro do castelo, os quadros se mexiam e conversavam com a gente, huehuehue. O Salazar Sonserina e o Grodrico Grifinória (não sei escrever o nome deles em inglês) tavam discutindo – o quadro deles,digo - , pra variar,rs.




Tinha a sala comunal da grifinória, o escritório de Dumbledore, a sala de poções, as estufas...teve um momento que Dumbledore apareceu, começando a discursar (mas eu não entendi nada,hihi). Antes da gente entrar no simulador dentro do castelo, Harry, Rony e Hermione apareceram e sumiram sob a capa da invisibilidade, depois reapareceram e nos chamaram pra participar da aventura com Harry.

Na minha humilde opinião, tanto de fã quanto espectadora, esse foi o melhor brinquedo de todos. No simulador, a gente passa pelos lugares citados nos livros: na floresta proibida – aragogue começa a espirrar veneno na gente; pelo castelo – nas salas comunais, nos lugares proibidos; no campo de quadribol, parece que a gente tá mesmo jogando quadribol com Harry; os dementadores aparecem e vêm pra cima da gente...nossa, é emocionante!




Depois disso nós fomos na montanha-russa “dragon challenge”, que é muuito boa! Os trilhos se cruzam e você parece que vai cair e – tá,parei. E por último fomos ao “Voo do Hipogrifo”, que é muito legal, mas não tão emocionante quando o Desafio do Dragão. Ah, mas tem a cabana de Hagrid e a gente escuta o canino latindo,rs.

Depois de ir em todos os brinquedos, pudemos ir às lojas e comprar o que quiséssemos. A cerveja amanteigada, por sinal, é uma delícia! Tem gosto de sorvete de baunilha, hmmmm.(esses aí à direita são o Pedro e o Vítor, meus amigos pottermaníacos.)

Passei uma hora e meia na fila pra poder entrar no Olivaras, e isso só porque eu escutei um cara falando com uma moça, dizendo que as lojas eram interligadas e que se ela fosse pra fila de trás (a da Dervish & Banges), que era mais curta, ela entraria no Olivaras. Aí eu fui pra essa fila e entrei na loja em 15min, só que tive que comprar minha varinha correndo. Tinha também as capas de Hogwarts, que eram muito caras e eu não tinha dinheiro (U$ 99, fora a taxa), a Firebolt, as vestes de quadribol,etc.




Os feijõeszinhos de todos os saborem TÊM mesmo todos os sabores. Meu amigo comeu um com sabor de cera de ouvido, ecaaa. Nos sapos de chocolate também vêm aquele cartão com um bruxo famoso. Eu ainda não abri o meu, mas no do meu amigo veio a Helga Huffle-Puffle.

O coral de Hogwarts se apresentou, assim como as garotas de Beauxbatons e o rapazes de Durmstrangs.



Tá, eu acho que já falei muito do parque de Harry, né? Agora vou falar das outras coisas que aconteceram.

Eu acho que só posso ter cara de mexicana ou algo assim, porque toda vez que um americano vinha falar comigo, só falava espanhol! E eu não entendo nadica de nada em espanhol. Minto eu, entendo algumas palavras graças ao RBD (confissões de uma fã,rs)

Teve uma hora que eu ri muito, mas muito mesmo: tinha um cara super lindo passando, aí uma das meninas do grupo chegou pra ele e apontou o indicador para o pulso, como se quisesse saber as horas, e disse "tu é muito lindo,sabia?", daí ele respondeu "aham,eu sei". ELE ERA BRASILEIRO. HAUHSUASHU. Eu ri demais.

O musical na Bela e a Fera é tão lindo! É sério, chorei. O da Pequena Sereia também. E o do Procurando Nemo é uma fofura. Todos os shows que vimos por lá foram lindos: o fantasmic, o de Shamuh, os pássaros, o do epcot...belíssimos.

A melhor montanha-russa de todas é a do Aerosmith. É muito, muito boa; é no total escuro, você só sente as curvas e os loopings. É minha favorita.

Acreditam que os americanos acham que no Brasil se fala espanhol? Pior, tem alguns que perguntaram se a gente falava "brasileiro". Isso foi o cúmulo da falta de informação.

E eles são MUITO grosseiros e mal-educados,sério. Pense num povo chato. Sem querer generalizar, porque tinha gente muito simpática por lá,também.


O ator contratado pra nossa festa de 15 anos foi o Kleber Toledo, que fez a temporada de Malhação 2007 (ele era o judoca Matheus). O Eduardo Surita tava hospedado no mesmo hotel que a gente, mas não chegamos a vê-lo (graças a Deus - que pesadelo!). Como tivemos escala no aeroporto do Rio, vimos alguns famosos: Zezé Polessa, Priscila do BBB (RISOS MIL) e um outro cara que eu NÃO lembro de jeito nenhum o nome, mas mesmo assim pedimos pra tirar fotos.

Obs: É isso, gente. Se eu fosse fazer um roteiro completo, contando tudinho da viagem, ia precisar de mais de um post. Tenho tanta coisa pra contar que não cabe aqui! Me desculpem por não fazer um post mega elaborado, mas não tive tempo de pensar em mais nada. (:

Beijos sabor cerveja amanteigada e até semana que vem :*